Tipo casa de Vó

Tipo casa de Vó

Mariana Pelozio comanda o Duas Terezas, restaurante de comida caseira, aconchegante e com gostinho de casa de vó

Mariana Pelozio tinha apenas nove anos de idade quando encontrou um livro de culinária de sua avó e preparou sua primeira receita: um suflê de espinafre. “Eu amei aquele negócio de misturar coisas e imediatamente sair um resultado”. E desde então nunca mais parou. Aos 11 anos, era ela quem fazia as compras no mercado e na feira e – além disso – cozinhava para o irmão mais novo dentro de casa. “A cozinha sempre foi uma zona livre para mim. Livre para testar, errar, fazer novamente. E continua sendo até hoje. É onde posso ser livre”.

Ainda que soubesse que queria ser cozinheira, Mariana deixou, inicialmente, a gastronomia em segundo plano, já que parecia um sonho distante, praticamente impossível de ser alcançado. Então, foi em busca de um plano B. Formou-se em administração e atuou alguns anos no setor. Mas não estava feliz.

“Meu marido me incentivou a mudar de área. Onde está nosso coração e nosso tesouro? Desde então, tenho cada dia mais certeza de que a gastronomia me completa”. Decidiu então fazer o curso de Cozinheiro Chef Internacional do Senac e pós-graduação em Culinária Brasileira.

A fim de entender a importância histórica, antropológica e gastronômica de certos gestos e tradições familiares, Mariana foi atrás de suas origens. “Eu entendi que seria impossível seguir na minha profissão sem valorizar o microambiente da história gastronômica da minha família”.

Foi por isso que, em 2016, mergulhando na história e alimentação de sua família, ela abriu o restaurante Duas Terezas, nome que homenageia as avós Tereza Pelozio e Tereza Ciarrocchi. “Minha ideia sempre foi colocar no prato as receitas que experimentei em casa, com minhas avós, tias, com seus livros e cadernos e com a liberdade que eu sempre tive.

Uma comida de espírito caseiro e aconchegante, repleta de cheiros, sabores, texturas, cores e, sobretudo, muito carinho. “Cozinha de afeto, com sabor de casa de vó”. O cardápio mistura as culinárias brasileira e italiana, mas sem deixar de lado o toque especial da chef Mariana Pelozio.

Com uma equipe 90% feminina, ela deixa claro que desconstruir o machismo é primordial dentro da Casa, e que não há espaço para macho palestrinha – e muito menos para atitudes de mansplaning e manterrupting. “Entendi que se eu quero equidade profissional, eu preciso começar, preciso fazer! Alguns homens chegaram, são bem-vindos, mas precisam aprender a trabalhar nesse ambiente feminino”.

Inspirada em chefs como Morena Leite, Madu Melo, Renata Vanzetto, Janete Borges, Janaína Rueda e Ieda de Matos o processo de criar receitas varia conforme sua inspiração. “Às vezes o prato aparece pronto na minha cabeça. Mas outras vezes são complicadas. Eu sempre busco entender o que meu cliente quer comer. Afinal, sou um restaurante inspirado em casa de vó. E o que é uma avó senão aquela pessoa que faz as vontades dos netos!? Vó é mãe com açúcar”.


Siga a Mariana: @marianapelozio

Siga o Duas Terezas: @duasterezas

Fotos: Divulgação/Mariana Pelozio

Post anterior: Doces da Dudi

Website | + posts

Criadora e redatora do Mulheres na Gastronomia! Sou estudante do terceiro ano de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo. Embora não tenha muito sucesso em minhas experiências dentro da cozinha, tenho uma paixão imensa por saborear os melhores pratos e contar histórias. Então, nada melhor do que juntar essas paixões em um mesmo lugar, trazendo pautas diferentes e interessantes, sempre com muita diversidade e diálogo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *